Momento poesia: A Valsa de Casimiro de Abreu

14:16


Hoje eu quero compartilhar com vocês um poema que gosto muito: A Valsa de Casimiro de Abreu.Foi numa das aulas de leitura da professora Maria Lúcia na 7ª série, se não me engano, que me deparei com o livrinho Amores Diversos, que reune a poesia de vários escritores nacionais famosos, como Oswaldo de Andrade, Mario de Andrade, Olavo Bilac, e também, Casimiro de Abreu.

Conhecia pouco de poesia - ainda hoje continuo sabendo quase nada (kkk) - mas sempre gostei bastante dos poemas que falavam, sobretudo, do amor. E então, entre os versos do livrinho me deparei com A Valsa.

A valsa

Tu, ontem,
Na dança
Que cansa,
Voavas
Co'as faces
Em rosas
Formosas
De vivo,
Lascivo
Carmim;
Na valsa
Tão falsa,
Corrias,
Fugias,
Ardente,
Contente,
Tranqüila,
Serena,
Sem pena
De mim!


Quem dera
Que sintas
As dores
De amores
Que louco
Senti!
Quem dera
Que sintas!...
— Não negues,
Não mintas...
— Eu vi!...


Valsavas:
— Teus belos
Cabelos,
Já soltos,
Revoltos,
Saltavam,
Voavam,
Brincavam
No colo
Que é meu;
E os olhos
Escuros
Tão puros,
Os olhos
Perjuros
Volvias,
Tremias,
Sorrias,
P'ra outro
Não eu!


Quem dera
Que sintas
As dores
De amores
Que louco
Senti!
Quem dera
Que sintas!...
— Não negues,
Não mintas...
— Eu vi!...


Meu Deus!
Eras bela
Donzela,
Valsando,
Sorrindo,
Fugindo,
Qual silfo
Risonho
Que em sonho
Nos vem!
Mas esse
Sorriso
Tão liso
Que tinhas
Nos lábios
De rosa,
Formosa,
Tu davas,
Mandavas
A quem ?!


Quem dera
Que sintas
As dores
De arnores
Que louco
Senti!
Quem dera
Que sintas!...
— Não negues,
Não mintas,..
— Eu vi!...


Calado,
Sózinho,
Mesquinho,
Em zelos
Ardendo,
Eu vi-te
Correndo
Tão falsa
Na valsa
Veloz!
Eu triste
Vi tudo!


Mas mudo
Não tive
Nas galas
Das salas,
Nem falas,
Nem cantos,
Nem prantos,
Nem voz!


Quem dera
Que sintas
As dores
De amores
Que louco
Senti!


Quem dera
Que sintas!...
— Não negues
Não mintas...
— Eu vi!


Na valsa
Cansaste;
Ficaste
Prostrada,
Turbada!
Pensavas,
Cismavas,
E estavas
Tão pálida
Então;
Qual pálida
Rosa
Mimosa
No vale
Do vento
Cruento
Batida,
Caída
Sem vida.
No chão!


Quem dera
Que sintas
As dores
De amores
Que louco
Senti!
Quem dera
Que sintas!...
— Não negues,
Não mintas...
Eu vi!

- Casimiro de Abreu

Não é bonito, gente? Lembro-me que desde aquela época, o que me encantou mais, além de todo o sentimento do eu-lírico, que está bem presente, e da "história" que é contada através do poema, é toda essa musicalidade - e rimas - que os versos têm. O que fica mais legal ainda quando lemos mais rapidamente.

Outros posts legais

8 comentários

  1. Eu adoro poesia! Não conhecia esse poema e adorei <3 Vou copiar no meu caderninho. Lendo rápido fica bem dinâmico e legal mesmo!

    Gabi

    ResponderExcluir
  2. Eu não gosto de poesias e poemas, normalmente me deixam entediada, mas esse, nossa, esse poema, realmente me encantou, é muito lindo *o*

    ResponderExcluir
  3. Esse é um dos poemas mais lindos,inspiradores e encantadores que eu já li.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Carol!

    Confesso que não sou uma grande apreciadora de poemas, rs. Já li pouquíssimos e nunca por vontade própria. Não sei... Só não me atraem muito. :~ Mas esse que colocou nesse post é bem bonito mesmo. E a imagem do início do post? *_* Coisa linda.

    Beijos,
    Amanda
    ^_^

    ResponderExcluir
  5. Eu não souf ã de poesia, mas eu gosto de algumas. Ainda fico chocada com o Romantismo, principalmente a segunda fase, mas mesmo assim, é tão bonito. i rapidinho como você recomendou, parece até que estamos rodopiando junto a ela! Adorei a poesia Carol!!

    ResponderExcluir
  6. Nossa que amor Carol.

    Adorei esse poema, desde a época de escola (já faz um tempinho) eu amo poemas, mas esse é lindo mesmo. E como você disse, agente acaba lendo mais rápido porque ele tem uma musicalidade e versos que rimam. Muito bom.

    Eu também amei a imagem, não sei porque mas me lembrou muito o desenho Anastácia, quando ela tem uma lembrança, igualzinho. Sei, é desenho, mas eu também amo desenho.

    ResponderExcluir
  7. Carol, coloquei um link do seu post no meu blog, dá uma olhadinha...
    Fiz um post sobre generos literários e seu post da poesia se encaixou direitinho... Como não sabia se poderia pegar a "poesia" emprestada, coloquei o link do seu post...

    Bjkas
    Lala =)
    Blog Mundo Literário

    Link do Post: http://meu-mundo-literario.blogspot.com/2012/03/os-generos-literarios.html

    ResponderExcluir
  8. Casimiro de Abreu era um excelente poeta, mas toda vez que ouço o nome só consigo me lembrar da cidade que leva esse nome! haha :)

    Beijos

    ResponderExcluir

Olá leitor! Quero muito saber o que você do post!

-> Deixe nos comentários suas impressões, opiniões e expectativas. Só não vale contar algum spoiler sobre o livro, rs. Se quiser falar comigo e não quiser usar os comentários, você pode escrever para mim por meio do formulário de contato, clicando aqui.

Obrigada pela visita! :D


Leitores do Open

Nossa página no facebook

Cópia atribuida


Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil. Se usar algum texto não esqueça de citar a fonte.


Translate here: Google-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to English