Resenha Corpus Delicti - Juli Zeh

11:50

Título: Corpus Delicti | Autor: Juli Zeh | Editora: Record | Nº de páginas: 256 | Ano: 2013 | Compre: Livraria Cultura |
Imaginem um mundo em que doenças não existem graças a avanços científicos e tecnológicos. Na realidade alternativa de Corpus Delicti, criada pela autora alemã Juli Zeh, a saúde é um direito e um dever de todo o ser humano. Qualquer um que desrespeite o estatuto do Método pode ser autuado por isso e responder por crime que coloca em risco toda a sociedade. Deixar de fazer seus exames médicos de rotina podem te trazer uma multa de advertência ou um convite para prestar esclarecimentos. Qual o preço da saúde? Eu com esse medo de agulhas iria ser presa em dois tempos, rs.

Moritz Holl, irmão da bióloga Mia, desde criança não compartilha da visão de intensa racionalização de mundo da irmã – e também da maioria da sociedade - e sempre teve uma ideia diferente do que é a verdadeira liberdade. Depois de marcar um encontro com uma mulher compatível com seu tipo imunológico, determinado pelo Método, ele é acusado e preso por um crime que se diz inocente. Mia precisa, então, contestar tudo o que sabe para se decidir se acredita em seu próprio irmão ou no sistema, que até agora lhe parecia infalível.

A narrativa em terceira pessoa é bem envolvente o que torna a leitura rápida, mesmo a história não indo por um lado mais de thriller/aventura – como eu imaginei ao ler a sinopse rs de luta contra o sistema e tudo o mais. O foco fica mais em torno das questões legais e políticas que envolvem a acusação contra Mia e seus questionamentos sobre como ela vive e por quê. Além do desenrolar do processo de Mia, outros capítulos trazem flashbacks de situações com Moritz, que são muito bacanas para que o leitor possa ir se decidindo se acredita na inocência do rapaz ou não.

Uma personagem que achei bem interessante foi A amante ideal, a namorada aparentemente imaginária de Moritz que mais ninguém consegue ver, e que atua como uma segunda consciência para Mia. No começo fiquei me perguntando se ela era algum tipo de holograma criado por computador como acontece em outras histórias futuristas. (Vendo ficção científica de mais... rs) O defensor de interesse privado – como eles o chamam - de Mia, Pisaflores, conseguiu transformar o caso em uma verdadeira bola de neve, então ainda me questiono sobre suas verdadeiras razões.

A distopia mostrada aqui pode parecer muito distante do que vivemos, mas o culto ao corpo junto com a preocupação com a saúde, de forma ou de outra, está presente no nosso dia-a-dia. São inúmeras “indicações” de hábitos saudáveis e outras inacabáveis listas do que não se deve fazer para ser “saudável”. Até onde estamos dispostos a ir em busca da perfeição? E, além do mais, quem determina esse padrão do que é perfeito e considerado normal?

O desenrolar da história mostra, de forma assustadora até, como uma situação pode ser manipulada de acordo com o interesse de uma minoria, no caso aqueles que criaram o Método, que deseja permanecer no controle.

O final ainda surpreende de uma forma totalmente lógica, numa visão com base no Método. Enfim, um livro para te tirar do lugar comum, surpreender e despertar questionamentos.

Outros posts legais

5 comentários

  1. Amei mais essa dica amiga
    bjjs e obrigada por visitar meu blog significou muito
    Parabénsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Stefanie (:
      Magina, seu blog é muito fofo!

      bjs!

      Excluir
  2. Oiee,

    Eu gostava bastante de distopias e tudo, mas acabei enjoando com a enxurrada que sucedeu os Jogos Vorazes, porém o tema desse livro foge um pouco do lugar comum de todos os outros... Pensando seriamente em dar uma chance ..
    BJs

    Se quiser dar uma passada :D
    www.partesdeumdiario.com/2013/07/novelas-e-eu.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daiane, tudo bom?
      Corpus Delicti foge de Jogos Vorazes, por exemplo, em relação a ação/aventura e o romance mesmo, ficando mais naquela contemplação, digamos assim, da realidade em que os personagens vivem. Claro que também há questões políticas como em outros distópicos.

      bjs,e obrigada por seu comentário!

      Excluir
  3. Oiee,

    Eu gostava bastante de distopias e tudo, mas acabei enjoando com a enxurrada que sucedeu os Jogos Vorazes, porém o tema desse livro foge um pouco do lugar comum de todos os outros... Pensando seriamente em dar uma chance ..
    BJs

    Se quiser dar uma passada :D
    www.partesdeumdiario.com/2013/07/novelas-e-eu.html

    ResponderExcluir

Olá leitor! Quero muito saber o que você do post!

-> Deixe nos comentários suas impressões, opiniões e expectativas. Só não vale contar algum spoiler sobre o livro, rs. Se quiser falar comigo e não quiser usar os comentários, você pode escrever para mim por meio do formulário de contato, clicando aqui.

Obrigada pela visita! :D


Leitores do Open

Nossa página no facebook

Cópia atribuida


Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil. Se usar algum texto não esqueça de citar a fonte.


Translate here: Google-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to English