21 de dezembro de 2014

Resenha Ligeiramente Casados - Mary Balogh

Título: Ligeiramente Casados (Os Bedwyns I) | Autor: Mary Balogh | Número de páginas: 286 | Ano: 2014 | Editora: Arqueiro |
Tudo começa num campo de batalha, onde, após a derrota do exército inimigo, o coronel Aidan Bedwyn ouve as últimas palavras do soldado Percival Morris e lhe faz a promessa de que dará a notícia de sua morte à irmã pessoalmente e que irá protegê-la "custe o que custar". Com um forte senso de dever, e certa dívida por Percy, uma vez, ter salvado sua vida, Aidan vai até Eve Morris, sem ter noção do que teria de fazer para cumprir sua promessa para ajudar a moça, tendo apenas a certeza de que não partiria para casa antes de o fazê-lo.

A herança, incluindo a propriedade deixada pelo pai de Eve, só seria passada para seu nome se a jovem cumprisse a exigência de se casar num período de um ano após a morte do Sr. Morris, que termina em apenas quatro dias. Como Percy morreu antes de receber a herança e poder passá-la à irmã, Eve não tem escolha, caso não se case no prazo, um primo com o qual não tem boas relações herdará tudo e ela terá de deixar Ringwood. Eve acaba aceitando um casamento de conveniência com Aidan Bedwyn para não perder a propriedade e, principalmente, por todos que dependem dela.

Ambos estão decididos que, depois do casamento, cada um irá viver sua vida normalmente e que nunca mais voltarão a se ver, porém, quando Bedwyn está de volta a casa da família, um convite importantíssimo chega endereçado a ele e a nova lady Aidan Bedwyn. O duque de Bewcastle, irmão de Aidan, é claro, não irá permitir que uma desfeita aconteça – como não aceitar o convite - para envergonhar o nome da família e exige a presença da esposa do irmão, até então desconhecida, que deverá ser apresentada a corte da rainha e permanecer em Londres para temporada de eventos sociais.

Agora, Eve terá que mostrar que uma garota humilde crescida no campo pode aprender, em pouco tempo, a se comportar como uma esnobe dama da classe aristocrática e seguir todas as suas normas - ou não -, enquanto luta para não esperar de Aidan mais do que o combinado em relação ao casamento dos dois.

Primeiras Frases

"Um vale protegido pela sombra das àrvores cortava o parque no lado oeste do Solar Ringwood, em Oxfordshire. A água do córrego murmurava pelo leito de pedras até se juntar ao rio mais largo que delimitava o parque e cortava Heybridge, o vilarejo mais próximo. O vale era sempre um recanto reservado e adorável. Naquela manhã de maio, contudo, a beleza do lugar estava de tirar o fôlego. Os jacintos azuis, que não costumavam florescer antes de junho, foram seduzidos pelo calor primaveril e desabrocharam mais cedo. As azaleias também estavam em flor, de forma que as margens em declive do vale estavam atapetadas de azul e rosa. Raios de sol cintilantes se infiltravam pelas copas verde-escuras dos altos ciprestes e chegavam ao solo em uma mistura de brilho e sombra, enquanto faziam cintilar a água murmurante do córrego."

Num âmbito geral, gostei do livro! A trama de Ligeiramente Casados é muito boa, porém, a narrativa descritiva que contribui para que nos ambientemos melhor aos locais onde a história se passa é às vezes, também, um pouco repetitiva, o que acaba dando a impressão de que é lenta, principalmente no começo do livro.

Quando tudo começa a ficar interessante e Eve vem a Londres graças ao “pedido” do Duque, há a questão de que os acontecimentos mais esperados, como a apresentação de Eve à rainha em Londres, por exemplo, não são narrados com todos os detalhes para o leitor, sendo apenas mencionados nas conversas entre personagens, o que foi uma pena.

O coronel Aidan Bedwyn é um personagem que esperaríamos encontrar em qualquer romance de época, nobre, forte, moreno, bonito, rico e que age com senso de dever, exceto por uma característica peculiar: ele não sorri. Foi uma dificuldade para mim imaginar as conversas entre ele e Eve, estando o personagem sempre com o rosto sério, apesar do tom de humor de certas situações. Para os leitores mais curiosos, ao longo da história conseguimos entender as circunstâncias que levaram Aidan a se fechar dessa forma.

Eve Morris é uma jovem mulher de 25 anos, um tanto independente para a época de 1814. Ela administra a propriedade de Ringwood desde que o pai morreu e o irmão foi servir no exército inglês, além de dar emprego para pessoas que não são bem vistas na sociedade por motivos variados, cuidar de um cachorro que foi maltratado pelo antigo dono, e tomar sobre seus cuidados dois órfãos, Davy e Becky, e criá-los como seus filhos. É uma personagem generosa, bastante decidida e admirável.

Ligeiramente Casados é o primeiro livro da série de época Os Bedwyns, escrita pela autora galesa Mary Balogh. Para mim, é difícil não comparar com outra série que adoro, também da editora Arqueiro, que é Os Bridgertons (leia as resenhas de todos os volumes já lançados aqui). A atmosfera das duas é diferente, mas principalmente, o que me marcou foi que em Os Bridgertons, todos da família parecem ser muito carismáticos e “gente boa”, enquanto em Ligeiramente Casados, vemos que os Bedwyns não se esforçam para agradar a nova integrante da família, Eve (pelo contrário!), e é difícil gostar de alguns personagens a princípio, como Wulf (o duque) e Freyja, uma das irmãs de Aindan.  Entretanto, em ambas as séries há a questão importante de defender os membros da família, independente das situações.

Estou curiosa pelo próximo volume, Ligeiramente Maliciosos, e ver se os Bedwyns conseguem me conquistar tanto quanto os Bridgertons, rs.

Compartilhe

  • Delicious

0 comentários:

Olá leitor! Quero muito saber o que você do post!

-> Deixe nos comentários suas impressões, opiniões e expectativas. Só não vale contar algum spoiler sobre o livro, rs. Se quiser falar comigo e não quiser usar os comentários, você pode escrever para mim por meio do formulário de contato, clicando aqui.

Obrigada pela visita! :D


Blogger Template by Clairvo