Resenha Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática - Thalita Rebouças

12:26

Título: Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática | Autor: Thalita Rebouças | Editora: Arqueiro | Número de páginas: 272 | Ano: 2016 | Leia um trecho
A vida de Teanira, de 15 anos, está passando por diversas mudanças. A perda de emprego dos pais fez com que a família mudasse de bairro e fosse morar na casa dos avós e Tetê passou a dividir o quarto com o bisavô. Uma coisa boa disso tudo é que, agora ela terá uma nova chance de se enturmar na nova escola, onde começará o ensino médio e ninguém (ainda bem!) conhece o antigo apelido maldoso, o de “Tetê do Cecê”, que a perseguiu injustamente nos últimos anos.

      “- Mas não é só o nome diferente que me angustia. Eu sei que estou longe do padrão de beleza atual, uso óculos pra corrigir meus cinco graus e meio de miopia, aparelho pra botar os dentes tortos no lugar, sofro com espinhas constrangedoras na testa e não sou convidada para festas ou eventos sociais. E concordo com a minha mãe: não sou de sorrir muito. (...) Sou sensível a ponto de chorar em último capítulo de novela que nunca acompanhei, não gosto de raspar as axilas, acho isso uma coisa machista, e não sinto a menor necessidade de tacar cera quente no buço. Ele sempre foi bem ralinho, juro, mas depois do ataque que a minha mãe deu hoje de manhã, estou repensando o assunto.” p.17.

É impossível não se compadecer de Tetê, já que ela sofre, não apenas pelo seu nome, que é uma junção entre Tércio e Djanira (nomes dos seus avós), mas por ter espinhas, usar óculos, estar acima do peso e ter dentes tortos. Ainda por cima, não consegue se segurar e fala fora de hora e é desastrada, mas sabe cozinhar como ninguém... Uma alternativa para o título do livro poderia ser “Tetê, a garota mais azarada de todas”, por ela ter todas as características, mais vistas como “defeitinhos”, de diversas meninas da vida real reunidas em uma só. Talvez essa tenha sido uma estratégia de Thalita para que as leitoras se identificassem com Tetê, ou então, esse exagero todo tenha sido proposital para criar uma caricatura adolescente. Fica a dúvida, rs.

No começo, confesso que fiquei um pouco desapontada com os estereótipos e clichês escolhidos pela autora para contar a história de Tetê (além das personagens serem mais infantis do que o normal, rs), como a mocinha desajeitada que se apaixona pelo garoto mais bonito da sala que namora a garota mais metida da escola que, por sua vez, é linda de morrer e os amigos da protagonista, que são um nerd excluído e um gay que sabe tudo de moda e dá dicas de beleza para a transformação da mocinha que, então, passa a ser notada pelo boy mais cobiçado... Ufa.

Já estava achando que a história de Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática não iria engrenar, só que, do meio do livro para frente, resolvi deixar os clichês de lado, e a leitura se tornou muito gostosa de acompanhar e valeu a pena no final!

Teanira passa por situações que seriam constrangedoras se não fossem tão cômicas, e tudo isso acontece, geralmente, pela sua falta de tato e dificuldade em manter a boca fechada quando necessário, rs. As conversas em casa com a família, entre a mãe, o pai, a avó, o avô e o bisavô de Tetê, são um divertimento a mais, com suas opiniões e pitacos diversos sobre como anda a vida da garota. Eles chegam até a pagar para que a filha do porteiro seja amiga de Tetê, vejam só, mas, ponto para o vovô, que acerta em vários momentos.

Fui percebendo, durante a leitura, que o fato de Tetê não “se cuidar” e a pegação no pé feita por aqueles à sua volta, ia além de uma questão que poderia ser apenas uma escolha sua (como a de não se depilar, por exemplo, e aliás, ela não deveria ser julgada por isso e nem mudar se não quisesse), mas, na verdade, ela estava deprimida e, essa falta de ânimo, faz parte e é compreensível frente a tudo o que vinha passando. Foi bacana observar como sua autoestima e confiança foram crescendo com a presença e força dada pelos amigos Davi e Zeca, que fez com que Tetê conseguisse ser mais ela mesma e, consequentemente, mais feliz.

Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática fala sobre bullying e o sofrimento que pode ser causado às pessoas por conta disso, mas, ao mesmo tempo, é uma história fofa e esperançosa, que mostra que o mais importante para a verdadeira transformação está, mesmo, dentro de nós e, às vezes, só precisa de um empurrãozinho.

Um livro que, com certeza, vai agradar, principalmente, o público mais jovem, que vai se ver na história e nos conflitos vividos pelas personagens.

Obrigada pela visita e até o próximo post! :D

Outros posts legais

0 comentários

Olá leitor! Quero muito saber o que você do post!

-> Deixe nos comentários suas impressões, opiniões e expectativas. Só não vale contar algum spoiler sobre o livro, rs. Se quiser falar comigo e não quiser usar os comentários, escreva para mim por meio do formulário de contato, clicando aqui.

Obrigada pela visita! :D


Leitores do Open

Nossa página no facebook

Cópia atribuida


Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil. Se usar algum texto não esqueça de citar a fonte.


Translate here: Google-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to English