5 de julho de 2016

Resenha Na Estrada Jellicoe - Melina Marchetta

Título: Na Estrada Jellicoe | Autor: Melina Marchetta | Editora: Seguinte | Número de páginas: 296 | Ano: 2016 | Leia um trecho
Aqui me encontro na difícil tarefa de resumir em apenas poucos parágrafos a minha experiência com a leitura do livro de Melina Marchetta, Na Estrada Jellicoe, mais um super título da Seguinte.

Na Estrada Jellicoe é um daqueles livros que você começa a ler e, já nas primeiras páginas pensa “Uau! Eu preciso ler mais, agora!”. A estrutura da narrativa em primeira pessoa, que não revela muito mais do que está acontecendo ao leitor, junto a um ritmo rápido que intercala duas histórias, contribuem para uma atmosfera tensa e envolvente.

Taylor é uma das alunas da escola Jellicoe. Ela é a líder de uma das casas da instituição, é responsável por meninas de várias idades que contam com ela e, agora foi escolhida para representar os interesse dos estudantes em meio as disputas territoriais que ocorrem todos os anos entre eles, os citadinos e os cadetes. A guerra territorial fica acirrada toda vez que os cadetes, alunos de uma escola militar, acampam pela região durante alguns meses do ano, o que gera um maior perigo se algum desavisado cruza uma das fronteiras estabelecidas, já que, quem invadir o perímetro do outro grupo sofrerá consequências sérias.

Como se Taylor já não tivesse bastante trabalho para negociar com o líder dos citadinos, que compreendem o grupo que mora na cidade, ela terá de lidar, também, com o mais novo líder dos cadetes, Jonah Griggs, garoto com o qual tentou uma fuga, três anos atrás, e que não acabou lá muito bem.

Mais do que defender seus estudantes dos “inimigos”, Taylor precisa descobrir os segredos que rondam o seu passado e entender o que levou sua mãe a abandoná-la numa loja de conveniência na estrada Jellicoe quando ela tinha apenas 11 anos. Quando ela passa a questionar Hannah, a mulher que a resgatou e a acolheu, entretanto, ela some sem dar maiores explicações, deixando Taylor mais sozinha do que nunca.

    "Estou sonhando com o menino da árvore e, quando estou prestes a ouvir a resposta pela qual tenho esperado, lanternas me arrancam do que poderia ser um daqueles momentos perfeitos de clareza sobre os quais as pessoas falam pelo resto da vida. Se eu fosse dramática, poderia imaginar meus suspiros sendo ouvidos na cidadezinha lá embaixo, fora dos muros da escola.
     A pergunta praticamente pede para ser feita: 'Por que lanternas?'. Acender a luz do lado da minha cama teria sido muito menos chamativo e dramático. Mas, se aprendi alguma coisa nos últimos cinco anos, é que esse melodrama tem um papel especial na vida dos alunos da Escola Jellicoe. Assim, enquanto as bocas das minhas veteranas se movem e suas mãos me ameaçam, lembro do sonho com o menino, porque nele encontro consolo. Gosto dessa palavra. Vai ser minha palavra do ano. Existe alguma coisa naquele menino que faz eu me sentir bem. Sentir bem. Bem sentir. Expressão estranha, mas, tirando a semântica, está pau a pau com consolo."

Apesar do livro focar principalmente em Taylor, uma garota de 17 que vive há anos na Escola Jellicoe e, agora, foi eleita como representante do lugar nas disputas territoriais contra os citadinos e cadetes, temos uma trama paralela que ocorre graças ao manuscrito escrito por Hannah, que conta a história de cinco amigos, Webb, Tate, Narnie, Jude e Fitz, que viveram em Jellicoe há dezoito anos.

A verdade é que Na Estrada Jellicoe é um emaranhado de emoções, lembranças perdidas, tragédias, segredos e conflitos territoriais. É um título intenso, em que o leitor cai de paraquedas numa história em que nada lhe é muito explicado. Por isso mesmo, é preciso ficar atento e ir ligando os pontos até entender melhor tudo que está acontecendo e, também o que já aconteceu e não fazemos a menor ideia! Dá até para criar algumas teorias se você conseguir interromper um pouco a leitura, rs.

Particularmente, gosto muito de livros assim, que me deixam confusa no início mas que, no decorrer da história, começo a entender as nuances da trama e a motivação, antes oculta, dos personagens. Esse tipo de leitura que vamos juntando todas as peças de um grande quebra-cabeças me lembrou muito a leitura de “Mar da Tranquilidade” e “Mentirosos”, que apresentam um estilo parecido.

Sinto que não posso contar mais e correr o risco de revelar alguma das surpresas para quem decidir embarcar na leitura de Na Estrada Jellicoe  rs. Simplesmente adorei todo o drama, a construção das personagens e como os mistérios foram sendo revelados pouco a pouco e me faziam não querer largar o livro e ler “só mais um capítulo”, que acabava se transformando em dois, três e vários! A relação de amizade entre as personagens é bem colocada, e é interessante ver como as disputas vão perdendo lugar para o apoio à busca de Taylor pela sua história, por mais dura que ela seja.

Na Estrada Jellicoe ganhou o Michael L. Printz Award, prêmio mais importante da literatura jovem adulta dos Estados Unidos, em 2009, e é uma excelente escolha de leitura para os leitores adoradores do gênero. Eu, se fosse você, iria atrás do livro correndo! :D

Aliás, não seria ótimo um sorteio valendo um exemplar do livro aqui no blog?

Compartilhe

  • Delicious

0 comentários:

Olá leitor! Quero muito saber o que você do post!

-> Deixe nos comentários suas impressões, opiniões e expectativas. Só não vale contar algum spoiler sobre o livro, rs. Se quiser falar comigo e não quiser usar os comentários, você pode escrever para mim por meio do formulário de contato, clicando aqui.

Obrigada pela visita! :D


Blogger Template by Clairvo