3 de novembro de 2016

Resenha Labirinto - Jim Henson e A.C.H. Smith

Título: Labirinto | Autor: Jim Henson e A.C.H. Smith | Editora: DarkSide Books | Número de Páginas: 272 | Ano: 2016 | Mais informações
Hey pessoal, como vão? Hoje falarei com vocês sobre um dos meus lançamentos literários mais esperados do ano: Labirinto, pela DarkSide Books!

Assim que descobri o lançamento, fui correndo conversar com a DarkSide que, para minha grande felicidade, concordou em enviar um exemplar para que pudesse resenha-lo aqui no blog. Assim, recebi aquele kit bacana que mostrei para vocês lá no Instagram. Eu estava doida para ler Labirinto e, mais uma vez, aproveito para agradecer a confiança e oportunidade! :D

Para quem nunca ouviu falar em Labirinto, no post sobre o lançamento já dei uma ideia sobre a história e contei que o livro é uma adaptação, ou novelização, do famoso filme de fantasia da década de 80, estrelado por Jennifer Connelly e David Bowie.

Na trama, Sarah é uma garota que adora atuar as cenas de sua história favorita e viver em seu mundo de fantasias. Cuidar do irmãozinho Toby, enquanto seu pai e a madrasta saem é, simplesmente, a pior parte de seu dia e ela não para de pensar no quanto isso é injusto.

Numa noite, cansada do choro do bebê e irritada ao descobrir que alguém entrou em seu quarto e mexeu em suas coisas, Sarah recorre ao personagem de seu livro favorito. Assim como na história, ela pede para que ele leve o bebê embora, mas, o que ela não sabia é que seu pedido seria atendido pelo Rei dos Duendes em pessoa! Arrependida, a garota lhe pede para devolver Toby, mas Jareth é irredutível e anuncia que ela só poderá recuperar a criança atravessando o Labirinto e chegando no Castelo para além da Cidade dos Duendes.

    Jareth estava bem perto dela agora. Ele a encarou com um sorriso gélido. "É mais longe do que você imagina." Apontando para uma árvore, ele acrescentou: "E o tempo é mais curto".
    Sarah viu que um antigo relógio de madeira havia aparecido na árvore, como se tivesse brotado de um galho. Nele havia marcas para treze horas, igual no relógio do quarto do bebê, quando iluminado pelo relâmpago.
   "Você tem treze horas para decifrar o Labirinto", disse-lhe Jareth, "antes que seu irmãozinho se transforme em um de nós."
    "Nós?"
    Jareth assentiu. "Para sempre.”
 p. 37

Sarah prontamente acredita que sua jornada será moleza, entretanto, ao passar por diversos perigos na tentativa de chegar a Toby dentro do prazo de treze horas, ela logo descobrirá que nem tudo é o que parece ser no Labirinto. (Sabe de nada, inocente! rs)

E então, estão prontos para entrar no Labirinto?

Sabem aquele filme que assistimos e pensamos que a trama daria um ótimo livro? Labirinto sempre foi esse tipo de filme para mim, e, para quem cresceu assistindo a fita VHS e sabe até as falas de cor, vocês devem saber que as minhas expectativas eram bem altas!

   “Então, para onde está indo?"
   "Ah…er…bem, não me lembro."
   A mulher do lixão fungou. "Você não pode olhar por onde anda se não sabe para onde está indo."
   Sarah pensou que poderiam ter discutido a questão, mas decidiu que ser educada seria melhor. Ela olhou em torno e disse: "Quero dizer, eu estava procurando alguma coisa".
p. 153

Estava bem curiosa para saber o que o livro traria de inédito para a trama. Apesar de não haver nada além da cena final, que era algo que queria muito, há algumas informações a mais, como o que aconteceu à mãe de Sarah e sobre Jareth, já que os momentos em que a narrativa se aproxima dele, tornam suas intenções um pouco mais claras. Existe ainda uma parte da travessia do labirinto que não vemos no filme, no momento em que Sarah encontra o segundo par de portas e suas maçanetas peculiares.

Um aspecto positivo e que temia que fosse me incomodar é a tradução, que mesmo estando diferente da dublagem em português do filme, se aproxima bem mais do idioma original. Por exemplo, uma mudança muito boa foi que o "Poço do Fedor Eterno" passou a ser "Pântano do Fedor Eterno", o que é bem mais apropriado! rs

Os fãs já devem ter percebido que o estilo do livro foi baseado no romance que a própria Sarah lê e conhece a história do Labirinto, além disso, por ser de capa dura, a edição ganha um charme a mais, e combina com os as ilustrações de Brian Froud, e os rascunhos do criador Jim Henson, onde podemos conhecer seus primeiros esboços e ideias para a história e ao roteiro do filme. Gravei o video abaixo para que vocês pudessem ver mais de perto alguns detalhes do livro e o projeto que gráfico, que ficou bem bonito.

Mas, voltando a trama, simplesmente adorei revisitar a história por um novo ângulo, acompanhar Sarah em sua aventura pelo labirinto e reencontrar todos os personagens, como o Verme, agora conhecido como Minhoca, Hoggle, Ludo, Ambrósio e Didymus pelo meio do caminho, rs. A narrativa é dinâmica, envolvente e tem um ritmo muito bom, e é também curioso como nosso olhar é direcionado para alguns elementos e aspectos que no filme passam, às vezes, despercebidos. Quando o livro acaba, a gente fica querendo mais!

Só posso indicar a leitura à vocês, tanto para quem conhece como para os leitores que nunca ouviram falar em Labirinto. Isso porque a história é fantástica, principalmente por ser tão rica e interessante, com direito a vários símbolos e metáforas, que cada um é capaz de interpretá-la de um jeito diferente. Se Labirinto é uma história sobre amadurecimento, a passagem da infância para a vida adulta, de como podemos nos enganar com as aparências, acerca da importância da amizade, ou se traz a estrutura mítica da jornada do herói, te convido a encontrar a sua resposta. O melhor de tudo é que, com o passar do tempo, sua visão sobre os diversos elementos poderá mudar, então, uma releitura será muito bem-vinda!

   O Sábio uniu as mãos sobre o colo. “Então, mocinha”, disse à garota, contraindo os lábios, ele explicou: “O caminho adiante às vezes é o caminho para trás”.
p. 86

E aí pessoal, curtiram o livro? Ah! Depois dessa ótima leitura, vale a pena dar uma olhada no filme, que já é considerado um clássico do cinema.

Teremos mais de Labirinto? Recentemente saiu um rumor de que uma nova versão de Labirinto seria produzida. Felizmente, a roteirista Nicole Perlman, desmentiu a informação, dizendo apenas que havia sido chamada pela Jim Henson Company para conversar sobre um projeto. Seria uma continuação? Falando no assunto, há poucos dias descobri que existe uma história em quadrinhos que conta a continuação da história, chamada "Return to Labyrinth". Pena que dificilmente ela será lançada por aqui, rs.

Compartilhe

  • Delicious

0 comentários:

Olá leitor! Quero muito saber o que você do post!

-> Deixe nos comentários suas impressões, opiniões e expectativas. Só não vale contar algum spoiler sobre o livro, rs. Se quiser falar comigo e não quiser usar os comentários, você pode escrever para mim por meio do formulário de contato, clicando aqui.

Obrigada pela visita! :D


Blogger Template by Clairvo